Perguntas frequentes


1. Quais empresas podem participar?

A plataforma SAVEh está aberta para qualquer empresa que tiver interesse em adotar uma ferramenta de gestão hídrica. Porém, a plataforma é mais indicada para empresas de pequeno ou médio porte do setor industrial que utilizem água no seu processo produtivo e busquem uma gestão hídrica mais eficiente.


2. Quando será disponibilizada a plataforma com todas as funcionalidades?

A plataforma, incluindo sistema de auto avaliação, construção e gestão do plano de ação da empresa será disponibilizada no dia 23 de Dezembro.


3. A utilização da plataforma SAVEh tem algum custo?

Não, a plataforma é 100% gratuita.


4. Por que a Ambev realizou este projeto e o que ela ganha com a iniciativa?

A Ambev tem o sonho de unir as pessoas por um mundo melhor. Para nós, um mundo melhor se traduz em quatro pilares de atuação, e água é um deles. Mas não conseguiremos alcançar nosso sonho sozinhos.

Acreditamos que o trabalho em rede é a melhor maneira de transformar o mundo em um lugar melhor. Água é um tema cada vez mais desafiador e, por isso, demanda uma solução colaborativa. Somente trabalhando juntos, unindo parceiros comprometidos com esta causa como nós, conseguiremos ter resultados cada vez maiores e na urgência que o tema exige.

O SAVEh é mais um dos passos que a Ambev tem dado nessa questão. Começamos dentro de casa, gerindo de forma responsável e eficiente os recursos hídricos. Nos tornamos referência mundial em gestão de água na produção de bebidas e, por meio do nosso sistema de gestão ambiental, alcançamos resultados surpreendentes de ecoeficiência. E, nos últimos anos, levamos nossa preocupação com a água para além dos nossos muros, contribuindo de forma mais abrangente para a segurança hídrica do país. Desde 2010, desenvolvemos o Projeto Bacias em parceria com ONGs e estamos atualmente trabalhando para recuperar e preservar bacias hidrográficas em Anápolis (GO), Jaguariúna (SP), Jundiaí (SP), Sete Lagoas (MG) e Guandu (RJ). Hoje somos a maior patrocinadora da Coalizão Cidades pela Água, iniciativa liderada pela The Nature Conservancy - TNC que visa a ampliar a segurança hídrica para mais de 60 milhões de brasileiros, em 12 regiões metropolitanas. Na prática, nos próximos cinco anos, trabalharemos para que a preservação de rios e nascentes seja incorporada na gestão dos recursos hídricos de 243 municípios.

Mas sabemos que, para alcançar o nosso sonho, precisamos ampliar ainda mais nossas redes, buscar novos parceiros e engajar outros públicos em prol dessa causa. A idealização do SAVEh é uma situação ganha-ganha. A Ambev ganha ao engajar parceiros em prol do seu sonho, as empresas participantes ganham uma plataforma gratuita e eficiente para gestão hídrica e o meio-ambiente e a sociedade como um todo ganham com a economia no consumo de água pelas indústrias, o que contribui para a maior segurança hídrica do país.


5. Por que a Fundação Avina entrou neste projeto?

A Fundação Avina é uma organização latino-americana, com mais de 20 anos de atuação, que trabalha de forma coletiva para a sustentabilidade e justiça social em toda região. A Fundação tem como um de seus temas principais de atuação o acesso à água de qualidade para as pessoas e comunidades que não tem acesso. A organização acredita que garantir esse direito às pessoas também passa por uma gestão hídrica com responsabilidade, tanto por parte das pessoas como das empresas.

Por esse motivo, a Avina encontrou na Ambev, através deste projeto, um aliado importante para esse eixo de atuação, visando gerar mais visibilidade para o tema e uma redução real no uso de água pelas empresas produtoras do país, assim como pelas pessoas, de forma indireta. A Fundação acredita que fazer parte deste projeto é contribuir com as empresas, oferecendo um sistema gratuito de gestão hídrica, mas também contribuir com as metas de impacto global no meio ambiente, por exemplo, promovendo a redução de 10% no uso de água de todas as empresas que fizerem parte da plataforma SAVEh.


6. Por que minha empresa deve se preocupar com o consumo de água?

A redução do consumo de água trará inúmeras vantagens competitivas para sua empresa.

Por exemplo : redução de gastos na cadeia produtiva, maior competitividade no mercado, redução dos impactos ambientais da empresa, diminuição do risco de abastecimento em momentos de escassez hídrica e o reconhecimento da consciência ambiental da sua empresa da empresa perante a sociedade em geral.

Clique aqui para ver mais detalhes sobre estes 5 motivos pra economizar água na sua empresa.


7. Se o Brasil tem tanta água, porque devemos economizar?

Mesmo em países com recursos hídricos abundantes existem dificuldades logísticas para o fornecimento de água. No Brasil por exemplo, cerca de 75% da água do país está localizada nos rios da Bacia Amazônica, que é habitada por menos de 5% da população. Para piorar a situação, o Brasil registra elevado desperdício nas redes de distribuição: dependendo do município, até 60% da água tratada para consumo se perde, especialmente por vazamentos nas tubulações. Por tudo isso, é necessário que toda a sociedade faça uso racional do recurso, adotando hábitos mais sustentáveis.


8. O que é água nobre?

Água nobre é o termo usado para se referir à água potável, normalmente proveniente da rede pública, carros pipa, ou captada de fontes naturais e tratada. A água nobre é tipicamente a mais cara das águas.


9. O que é água de reúso?

Água de reúso é o termo usado para se referir à água não-potável, com qualidade suficiente para ser usada para fins como a irrigação, descargas, lavagem de pisos, etc. A água de reúso pode ter mais ou menos qualidade, dependendo do fim para qual será usada, mas não deve oferecer riscos à saúde, como contaminantes, químicos tóxicos, pH ácido ou alcalino, forte odor ou coloração.


10. Como faço para obter água de reúso ou alguma fonte alternativa à água nobre?

Existem várias maneiras de se conseguir águas alternativas à água nobre. O Sistema SAVEh inclui uma série de exemplos de onde sua empresa pode conseguir recuperar água que normalmente ia para o ralo, e utilizar para utilização para outros fins, por exemplo recuperando água de: chuva, de sistemas de geração de vapor, de sistemas de resfriamento, de lavanderias, de esterilização de água, efluentes de fábricas vizinhas, entre outras possibilidades.


11. Aonde posso usar água de reúso?

Existem muitos possíveis usos para água de reúso, por exemplo: em descargas, lavagem de pisos, irrigação de jardins, resfriamento de tanques, etc. Dependendo do fim que se propõe usar a água de reúso, esta precisa ter mais ou menos qualidade, por exemplo: Para usar água de reúso em descargas de sanitários, esta água não deve ter odor perceptível, não pode ter alta carga de matéria orgânica, não pode ter um pH muito ácido ou muito alcalino, e não deve ter alta turbidez. Para este fim, portanto, caberia usar água de coleta de chuvas, ou recuperada de sistemas de geração de vapor ou de resfriamento entre outras fontes que não alteram muito as características químicas da água. A água recuperada de um processo de lavagem de tanques contendo alimentos, ou químicos, no entanto pode não ser adequada para o uso em descargas sanitárias, ou precisaria passar por algum tipo de tratamento antes de estar adequada para este fim.

Outros fins menos nobres, como a irrigação de jardins no entanto podem aceitar águas de reúso menos nobres, com certa turbidez e carga orgânica. Cabe ao usuário do Sistema SAVEh montar seu mapa de entradas e saídas de água e caracterizar: (i) as necessidades da água que usa para cada fim; e (ii) as qualidades dos efluentes que saem de cada processo para avaliar aonde é possível reutilizar água.


12. Quem ficará responsável pela implementação do plano de ação?

A própria empresa será responsável por implementar o plano de ação.

A plataforma guia os usuários entorno de como fazê-lo e disponibiliza algumas funcionalidades para ajudar com o monitoramento da execução do plano, por exemplo, o acompanhamento do índice de produção e do próprio plano de ação (percentual de ações concluídas, ações em andamento mas dentro do prazo e ações em andamento que estejam atrasadas).


13. Existe um prazo para implementação do plano de ação?

Cabe às empresas determinarem o prazo para iniciar e concluir cada ação do plano de ação. Visto que cada usuário da plataforma terá uma situação particular à sua empresa, o sistema SAVEh não pretende impor prazos aos usuários, mas demonstrar a importância de se definir metas, e prazos para realizar as ações contidas no plano de ação de cada usuário. O ciclo para conclusão de um plano de ação é de 1 (um) ano. Após esse período o usuário da plataforma terá que responder as questões do auto-diganóstico mais uma vez e refazer seu plano de ação, mesmo que algumas das ações tenham que ser re-incluídas.


14. Como engajar a diretoria da minha empresa para participar do SAVEh?

Para evidenciar a relevância das medidas de economia de água para a diretoria da sua é preciso avaliar o custo e o retorno de cada medida do seu plano de ação. A aprovação da diretoria é fundamental porque:

  • Todas as mudanças nos procedimentos ou nos processos, necessitarão de aprovação do gerente responsável;
  • A alocação de funcionários para realização de cada ação necessitará de aval do gestor;
  • A reserva de recursos financeiros para realização de cada ação necessitará de concordância do gestor.

A aprovação do Plano de ação pela diretoria será facilitada caso seja apresentada uma estimativa de potencial de economia de recursos. Ou seja, quanto maior for a economia gerada pela redução do consumo de água e menor for o impacto no fluxo de caixa, maior a probabilidade de convencimento e apoio às medidas propostas. Clique aqui para ver instruções sobre como fazer uma análise de custos e benefícios


15. Como calcular a relação custo-benefício de ações no meu plano de ação?

Em linhas gerais, pode-se dizer que método de custo-benefício é uma técnica na qual o usuário compara diferentes alternativas de investimento e o retorno esperado de cada uma em um determinado período.

O objetivo é identificar ações que trarão mais benefícios que despesas ao longo do tempo. Como o custo de cada medida foi preenchido no plano de ação pelo usuário, basta estimar a economia que será gerada (em R$). Em seguida será calculada a razão benefício/custo (B/C) em cada caso e as ações com maior indicador B/C serão priorizadas.

De uma maneira geral, ações com ganhos menores que o custo gerado (indicador B/C menor que um) devem ser descartadas. Enquanto isso, quanto mais benefícios em relação ao investimento uma medida tiver (quanto maior for a razão B/C), mais relevante será para o resultado global.

Entretanto, é importante interpretar com cautela os resultados do método custo-benefício. Nem sempre as ações com maior índice B/C serão realizadas, uma vez que podem ser muito caras. A empresa tem que avaliar se o custo de cada alternativa é viável no seu fluxo de caixa. Por exemplo, se o custo elevado impedir que a fábrica continue pagando suas contas e salários dos funcionários, ou cause um endividamento elevado, é provável que esta ação tenha que ser descartada.

Por outro lado, nem sempre uma ação com índice B/C menor que a unidade será descartada. Às vezes, devido ao caráter estratégico da mesma ou ainda à uma eventual interdependência com outras ações, se torna necessário implementar algumas destas ações aparentemente não atrativas.


16. Como priorizar ações do meu plano de ação?

Métodos simples, como a análise de Pareto, podem ser usados para ajudar a desenvolver um plano de ação. A análise de Pareto baseia-se no princípio de que 80% dos efeitos são devidos a 20% das causas, sendo é uma técnica simples e eficaz para mostrar onde direcionar o foco.

A análise de Pareto pode ser usada para identificar as áreas que tem os maiores custos de água, nas quais você pode concentrar sua atenção. Caso exista um balanço hídrico da empresa, será mais fácil aplicar este método.

A empresa deve avaliar vulnerabilidades sazonais no fornecimento de água (meses de estiagem, por exemplo), para hierarquizar prioridades dentro da empresa (consumo humano não pode ser afetado em nenhuma hipótese, em seguida a produção é preservada, por último os usos optativos, como irrigação de jardim).


17. Como comunicar e conscientizar os funcionários e colaboradores da minha empresa?

A comunicação é um fator chave para o sucesso do programa de redução de consumo de água. Isto significa que o discurso precisará ser adaptado de acordo com o grau de instrução e cargo do colaborador.

Durante a divulgação do programa, é essencial explicar ponto a ponto todo o processo. Não se deve assumir que qualquer informação seja de conhecimento de todos. Além disto, deve haver espaço não somente para que os trabalhadores esclareçam suas dúvidas, mas também para que sugestões sejam dadas por eles, que conhecem profundamente os processos industriais e podem contribuir efetivamente com o alcance da meta estipulada.


18. Quais são as metas definidas pelo SAVEh?

Após concluir seu auto-diagnóstico, os usuários do SAVEh criam planos de ação e podem usar a plataforma para acompanhar seu progresso em relação a este plano. O Sistema SAVEh não define metas específicas por ação, deixando o usuário escolher quais ações quer manter e quais metas e prazos quer incluir. O Sistema SAVEh define somente uma meta global por usuário: a redução de 10% do índice de consumo de água criado por cada empresa por ano. Por exemplo: se uma empresa insere seus dados dos últimos 12 meses e em média utilizou 10 litros de água por quilo de produto, a plataforma determina que a meta será chegar à média de 9 litros de água por quilo de produto nos próximos 12 meses.


19. O que acontece se minha empresa não bater a meta proposta pelo SAVEh?

O Sistema SAVEh foi feito para ajudar empresas a reduzirem seu consumo de água e se beneficiarem com isto. A única consequência de não se atingir a meta proposta pelo SAVEh (de redução de 10% do índice de cada empresa a cada 12 meses) é que a empresa deixa de economizar recursos e deixa de se beneficiar com as ações propostas pela plataforma.

Se uma empresa não atingir a meta proposta, ou não conseguir cumprir as ações propostas no seu plano de ação, ela pode refazer seu autodiagnóstico após 12 meses e repensar suas ações, metas e prazos. O Sistema SAVEh pretende ajudar as empresas a percorrerem este caminho de aprendizado.


20. O que eu devo fazer se minha empresa estourou o prazo estipulado para uma ou mais ações contidas no plano de ação?

Não tem problema. O processo de construir, acompanhar e revisar um plano de ação frequentemente inclui a revisão de metas e prazos, ao passo que ganhamos uma visão realista do que é possível fazer considerando as limitações de cada empresa. Se o prazo para uma ação estourou, re-programe o prazo para uma nova data, na qual entenda que será possível realizar a ação.